Author Archives: admin-fisk

falar-espanhol

Conheça as 7 principais dificuldades ao aprender espanhol

O espanhol é considerado o terceiro idioma mais falado em todo o mundo e seu domínio é profissionalmente valorizado em muitos países, como Estados Unidos e até mesmo o Brasil.

Mas quais são os principais desafios das pessoas ao aprender o idioma espanhol? Acompanhe os detalhes a seguir e conheça as sete principais dificuldades que podem estar atrapalhando o seu aprendizado.

1. Semelhanças entre o Português e o Espanhol

Esta é provavelmente uma das principais dificuldades ao aprender espanhol e não é por acaso que ela entra em primeiro lugar em nossa lista.

De fato, o espanhol é um idioma muito parecido com o português em suas raízes. Podemos, por exemplo, conversar com um nativo ou simplesmente assistir um filme em espanhol e compreender muitas palavras e frases inteiras. Em um primeiro momento, tudo isso pode parecer muito bom, não é mesmo? Mas, de que forma, então, essas semelhanças se tornam um problema? Justamente pelo motivo de o português e o espanhol terem muito em comum, o aluno brasileiro muitas vezes relaxa e não se concentra em aprender a gramática correta, as nuances e particularidades do idioma a ser estudado, no caso o espanhol, por achar que irá entender por completo um texto ou uma conversa por pura intuição, sem se apegar aos pormenores da língua.

Neste caso, a principal dica para superar esse problema é simplesmente tratar a língua espanhola como qualquer outro idioma, da mesma forma como o inglês, o francês, entre outros. Ou seja, procure entender os conceitos da língua em vez de compara-la com o nosso bom e velho português.

2. Falsos Cognatos

Assim como no idioma inglês, os falsos cognatos também aparecem em peso no espanhol, trazendo dificuldades para quem pretende aprender este idioma.

A dica básica aqui é: quanto maior for o seu domínio no vocabulário espanhol, menores serão as chances de errar. Portanto, leia, estude e procure sempre ampliar o seu vocabulário. Abaixo listamos alguns dos principais falsos cognatos em espanhol para que você possa conhecê-los e, assim, vencer essa dificuldade. Na coluna da esquerda estão as palavras em espanhol e, na esquerda, a tradução para o português. 

  • Corvo: Curvo
  • Desabrochar: Desabotoar
  • Embarazada: Grávida
  • Faro: Farol
  • Fecha: Data
  • Garrafa: Jarro
  • Goma: Borracha
  • Novela: Romance

3. Confundir os artigos lo e el

Outra grande dificuldade dos brasileiros ao aprender espanhol é não saber diferenciar os artigos lo e el.

Ao contrário do que muita gente imagina, o artigo masculino “O” em português é equivalente a “EL” em espanhol. Já o artigo “LO” possui uma forma neutra e acompanha adjetivos, advérbios e particípios.

Exemplos:

  • El Hombre (O homem)
  • El coche (O carro)
  • Lo bueno (O bom)

Vale lembrar que esta é a regra básica para o uso do EL e LO em espanhol e, em outros casos, existem regras que devem ser estudadas a fim de utilizá-las em demais ocasiões.

4. Esquecer os pontos de exclamação e interrogação ao abrir frases

Se adaptar quanto ao uso de pontos de exclamação e interrogação invertidos no início de toda frase exclamativa e pergunta também é um dos principais desafios dos estudantes da língua espanhola.

A utilização desses símbolos invertidos tanto no final das frases quando no início (de modo invertido), é uma regra obrigatória na gramática espanhola que indica o começo de uma pergunta ou afirmação.

Alguns exemplos:

  • ¿Cuanto es? (Quanto é?)
  • ¡Estoy tan feliz! (Estou tão feliz!)

Dica: Se estiver usando o computador para treinar o seu espanhol, utilize os seguintes atalhos para criar os sinais invetidos:

Windows

  • Alt + 0191 ou Alt + 168 ou Alt + ? para ¿
  • Alt + 0161 ou Alt + 173 ou Alt + ! para ¡

Linux

  • Alt Gr + shift + ? para ¿
  • Alt Gr + shift + ! para ¡ 

Mac

  • Option + shift + ? para ¿
  • Option + shift + ! para ¡

5. Confundir palavras femininas e masculinas

O gênero de uma determinada palavra nem sempre é o mesmo em outros idiomas. E no português x espanhol também não é diferente, o que acaba gerando dificuldades para os estudantes brasileiros.

Veja abaixo alguns exemplos de palavras que em português são definidas como femininas e que podem ser masculinas no espanhol, e vice-versa:

  • la sangre (o sangue)
  • la leche (o leite)
  • la sonrisa (o sorriso)
  • la miel (o mel)
  • el agua (a água)
  • el árbol (a árvore)

Dica: Semelhante aos falsos cognatos, para aprender a distinguir certas palavras femininas e masculinas em espanhol é preciso buscar expandir cada vez mais o vocabulário espanhol para que as chances de se confundir sejam cada vez menores.

6. Insistir no ‘también no’

A palavra “TAMBÉM” em português possui escrita e pronúncia muito semelhante no espanhol, sendo descrita como “TAMBIÉN”. No entanto, outra grande dificuldade dos brasileiros é simplesmente dizer “TAMBIÉN NO…” quando querem dizer “TAMBÉM NÃO…”.

Deste modo, a forma correta de dizer “TAMBIÉN NO…” é simplesmente utilizando a expressão “TAMPOCO”.

7. Usar SS

Nós brasileiros sabemos que existem diversas palavras em português com SS (ex: massa, pressão, sessão, entre muitas outras).

No entanto, nos deparamos com uma grande dificuldade, afinal, não existe “SS” em espanhol. Portanto a dica aqui é:  O “S” em espanhol sempre terá som de “SS” na pronunciação.

Exemplos:

  • passado – pasado
  • possessão – posesión
  • esse – ese

O espanhol pode parecer um idioma relativamente fácil por ser um dos mais próximos ao português. No entanto, o seu aprendizado não deve ser subestimado, ou seja, é preciso que o aluno se dedique a aumentar seu vocabulário por meio de áudios, leitura, vídeos e até mesmo pela produção de textos.

E você, tem dificuldades em aprender espanhol? Venha conhecer nossas unidade e veja como podemos ajudá-lo a aprender de uma forma mais dinâmica. 😉



importancia-falar-ingles

Por que é importante falar inglês?

Saber falar inglês já deixou de ser um diferencial para se tornar uma necessidade, tanto no ambiente profissional quanto em nosso dia a dia. Afinal, o inglês está presente em praticamente todos os lugares e em muitas das referências do nosso cotidiano.

Expressões e palavras comuns em inglês já fazem parte do vocabulário de muitos brasileiros. No entanto, avançar um pouco mais e conseguir ter fluência no idioma se torna imprescindível nos dias atuais.

Mas, afinal, por que falar inglês é tão importante? Para saber mais sobre este assunto, confira a seguir algumas das principais razões.

O Inglês é a língua mais falada no mundo

O inglês é uma língua conhecida mundialmente. Tanto que uma em cada seis pessoas no mundo fala o idioma. Quem sabe se comunicar em inglês tem a possibilidade de ser ouvido e compreendido em praticamente qualquer parte do mundo.

Assim, conhecer outros países e outras culturas se torna muito mais fácil quando o inglês está na ponta da língua. Desta forma, ter a fluência em inglês poderá lhe proporcionar grandes experiências para toda a vida.

Agregar maior conhecimento

Imagine quantos livros, artigos científicos, revistas especializadas, sites ou até mesmo programas de TV interessantes em inglês existem no mundo. Dominar o idioma poderá ampliar seus horizontes e trazer um mundo novo de conhecimento e aprendizado.

Muitos conteúdos, pesquisas e estudos são produzidos unicamente em inglês e neste caso, ter o controle da língua seja na compreensão, na escrita e na fala abrirá um leque de novas oportunidades. Ou seja, é possível tornar-se independente de materiais exclusivamente em português ou traduzidos e passar a “beber a água da fonte” ao consumir conteúdo diretamente em inglês.

Melhores oportunidades no mercado de trabalho

Não há dúvidas de que a grande maioria das empresas no Brasil buscam por profissionais qualificados e que tenham o inglês como segunda língua. Deste modo, falar e compreender o idioma faz aumentar as chances de conquistar melhores cargos e salários no mercado de trabalho.

Ter domínio do inglês é visto pelas empresas como um sinal de qualificação cultural, mostrando que o profissional está mais bem preparado, uma vez que, ao aprender um novo idioma, o cérebro torna-se mais “elástico”, aumentando assim o seu potencial para aprender coisas novas. Além disso, com a instalação de centenas de empresas multinacionais em nosso país, o domínio do inglês torna-se obrigatório para quem pretende disputar uma vaga nessas companhias ou até mesmo conseguir uma promoção no atual emprego.

Ampliar a rede de contatos

O mercado de trabalho não está limitado apenas ao Brasil, logicamente. Quem sabe falar inglês tem o mundo todo de oportunidades e com o inglês fluente é possível contatar pessoas de outros países, trocar ideias, se relacionar e então ampliar a sua rede de contatos.

Quanto mais você trabalha o seu networking maiores são as chances de alcançar as melhores oportunidades de trabalho, seja no Brasil ou no exterior.

Estudar em universidades estrangeiras

Outro motivo que demonstra a importância de se falar bem inglês está na possibilidade de estudar em grandes universidades no exterior, como é o caso de Stanford, Harvard, MIT, Princeton, Cambridge, Oxford, entre outras.

Ingressar nessas universidades de fato não é fácil. Contudo, qualquer brasileiro pode tentar, desde que possua ao menos inglês fluente e obviamente obedeça aos critérios de seleção de cada instituição de ensino.

Além disso, a maioria dessas universidades (como é o caso da Harvard) possui cursos online gratuitos com certificados. Ou seja, se você fala inglês pode fazer um curso que custaria milhares de reais simplesmente “de graça”.

Como se pode observar, existem diversos motivos para se falar inglês e, se você ainda não domina este idioma, saiba que pode estar perdendo oportunidades tanto na sua carreira profissional quanto em sua vida pessoal.

Nós, da Fisk Guarulhos, somos uma escolha de idiomas que atende às necessidades voltadas aos públicos infantil, adolescente e adulto, e estamos preparados para lhe ajudar a se tornar fluente em inglês e a aproveitar todos os benefícios citados acima. Portanto, venha nos visitar e saiba como começar a sua jornada rumo à fluência do inglês!

Quer se tornar fluente em inglês? Venha já para a Fisk Guarulhos!



melhorar-pronucia

Como melhorar sua pronúncia em uma língua estrangeira?

Se você tem dificuldades em pronunciar algumas palavras em línguas estrangeiras, ou se sente envergonhado ou tímido para falar abertamente em outro idioma, saiba que isso é perfeitamente normal, e melhor ainda, tem solução. Existem técnicas e mecanismos de aperfeiçoamento da pronúncia que ajudam quem está aprendendo uma nova língua a se sentir mais à vontade e confiante na hora de soltar o verbo e exercitar a conversação. Vamos conferir algumas delas?

1 – Não se cobre demais!

A expressão da fala de toda nova língua está entre as maiores dificuldades e pontos de entrave percebidos pelos estudantes. Muitas vezes essa limitação, embaraço e estranhamento prejudica seu processo de aprendizado e impede que você avance na melhora e no aprofundamento do idioma. Saiba que não é necessário que se possua uma pronuncia perfeita, digna de um nativo. Seu objetivo inicial é se fazer entender, de forma que consiga transmitir aquilo que deseja.

A medida que tirar os pesos da cobrança com a perfeição, perceberá que naturalmente se sentirá mais confortável, e sua fala ficará mais clara e fluída.

2 – Treine seu ouvido na língua alvo

Além de existirem muitos vídeos e tutoriais online que ajudam você a treinar sua fala, há também diversas ferramentas que auxiliam a manter contato com a língua fora da sala de aula. Ver vídeos, séries, filmes, músicas estrangeiras são atividades que auxiliam na sua compreensão da forma como a pronúncia deve ser feita. Ouça, repita e compreenda. Quanto mais afinidade e proximidade você tiver, mais fácil e natural será para reproduzir a comunicação oral.

Faça disso um hábito diário, primeiramente utilizando legendas em português para melhor entendimento. Aos poucos vá reduzindo o uso de legendas até que não seja mais necessário. Em pouco tempo você perceberá um progresso significativo, não apenas na oralidade, mas no aprendizado de modo geral.

3 – Encontre semelhanças e diferenças

E sempre mantenha a calma! Todas as línguas estrangeiras possuem pontos parecidos com a língua portuguesa, alguns fáceis de reproduzir, e sons mais difíceis. Preste atenção naqueles que possuem maior dificuldade e busque reproduzi-los. Como o ‘r’ do espanhol, o ‘th’ do inglês.

E sempre procure falar de forma lenta e precisa, até que desenvolva melhor sua prática. Isso é essencial para que você consiga ser compreendido e não confunda as palavras. Busque entender a diferença de pronuncia nas palavras similares, como no inglês a diferença do ‘i’ em ‘sheep’ (ovelha) e o ‘i’ em ‘ship’ (navio).

4 – Leituras em alto e bom som!

Leituras de textos não traduzidos em voz alta auxiliam no processo de percepção de sua pronúncia e na identificação das palavras mais difíceis, e onde a fonética se torna mais complicada. Dessa maneira você identifica seus maiores desafios e persiste na repetição e treino para melhorar. O ideal é que se leia em torno de 10 a 15 minutos, pois passado esse período, tende-se a perder a concentração e a voltar aos seus vícios.

Busque repetir essa prática com frequência e observe seu progresso em suas maiores dificuldades. Em caso de dúvidas, consulte seu professor para que se acostume a manter sempre a pronuncia correta.

5 – Pratique com músicas, filmes e outras mídias

Enquanto você mantém um maior contato com a língua, encontre referências de personalidades com sotaque e voz que lhe agradam e divirta-se imitando a forma com que eles falam. Você pode memorizar partes de filmes, seriados, assistir entrevistas, e buscar repetir aquilo que está sendo dito, prestando atenção na forma com que é falado.

Cante as músicas estrangeiras de que gosta, de seus artistas preferidos. Será uma maneira descontraída e animada de intensificar e melhorar sua pronúncia por meio da prática. É interessante também procurar prestar atenção na entonação daquilo que você escuta e reproduz. Sempre há uma musicalidade por trás das palavras, e sua percepção nelas facilitará seu processo em melhorar a fala.

À medida que você treina e se aprimora na língua escolhida, será mais natural e fácil expressar-se oralmente. Sempre que possível converse com estrangeiros e nativos, deixe a vergonha de lado e pratique bastante. Seu nível de fluência aumentará de acordo com seu empenho e dedicação.  

Precisando melhorar sua pronúncia? Então entre em contato com a Fisk Guarulhos e saiba mais sobre nosso método de ensino!



costumes-mexicanos

Día de los Muertos: como é o dia de finados mexicano

O dia de finados é sempre um momento saudoso e triste para a cultura brasileira, por outro lado, no México ele é visto de modo mais alegre e é considerada uma data até mesmo festiva. Os mexicanos têm uma maneira diferente de encarar a morte e homenagear seus entes queridos que faleceram.

E se você ainda não conhece sobre o Día de Muertos e quer saber um pouco mais, acompanhe os detalhes a seguir e saiba como é o dia de finados mexicano.

O que é o Día de los Muertos?

O Día de los Muertos, ou dia dos Mortos é um feriado mexicano destinado a homenagear e honrar os entes queridos que faleceram. Na cultura mexicana a data é vista com muita alegria e festa, pois acredita-se que a morte é apenas uma etapa da vida e que as almas vão para um lugar melhor, sendo assim, não há razão para chorar.

A origem das comemorações data desde antes da colonização espanhola, nesta época, os índios já adoravam a morte e a viam como uma dualidade da vida, sendo parte do ciclo da natureza. Já mais tarde com a chegada dos espanhóis, este culto se fundiu com a religião católica, originando o Día de los Muertos, que deste então, é celebrado pelos mexicanos e se tornou uma das maiores comemorações do país.

A comemoração do Día de los Muertos

As comemorações têm início no dia 31 de outubro e vão até o dia 2 de novembro, sendo por vezes estendido até o dia 3 e 4. Nestes dias, acredita-se que os mortos têm permissão para voltar ao mundo dos vivos e por esta razão, são preparadas as festividades para que todas as almas possam sentir-se bem-vindas.

Para o reencontro, as pessoas decoram suas casas, as ruas, os cemitérios, com muitas flores, velas e incensos, fazem altares e preparam a comida preferida dos seus entes que já se foram. Desta forma, os mortos serão recebidos em um ambiente de muita alegria e festa.

Pela tradição, já no dia 30 de outubro, começam os rituais de ascender uma vela preta no altar para simbolizar todas as almas. Do meio dia do dia 31 de outubro até o meio dia de 1 de novembro, comemora-se a chegada das almas das crianças e jovens, os chamados “angelitos”, já do meio dia do dia 1 de novembro até o meio dia do dia 2, é celebrada a chegada das almas dos jovens e adultos.

Curiosidades

  • Para a decoração, os mexicanos utilizam muitas cores e o bom humor, neste caso, utilizam papel, argila, açúcar, latas, madeira e até mesmo ossos para confeccionar esqueletos que representam a morte.
  • Na chegada dos “angelitos”, é tradição utilizar altares e velas brancas;
  • Para a chegada dos jovens e adultos, todas as velas são coloridas, como forma de homenagear a todos;
  • Na semana anterior as comemorações, há a colheita das flores chamadas Cempasuchil (conhecida também por “flor de 400 pétalas), elas possuem a cor laranja vivo e representa o sol que ilumina os mortos, esta flor também era típica do luto do povo maia;
  • Algumas pessoas chamam o Día de los Muertos como “Carnaval dos Mortos”, já que além de todas as festividades, nas ruas é possível encontrar bloquinhos de pessoas fantasiadas, assim como no carnaval;
  • A famosa caveira Katrina, vista em muitas fantasias, tem como objetivo, mostrar que após a morte, todos somos iguais;
  • Uma das oferendas mais servidas para os mortos é o “Pan de Muerto”, o chocolate em forma de caveira e o Mezcal, uma bebida alcóolica muito forte, que ajuda a espantar o frio durante as vigílias no cemitério;
  • Em clima de alegria e confraternização, todos se reúnem parar ceiar nos cemitérios.

Gostou da dica? Para conhecer mais curiosidades sobre a cultura mexicana, continue acompanhando nosso blog!



esportes-lingua-inglesa

Os esportes mais diferentes dos países de língua inglesa

Você já deve ter ouvido falar sobre curling, cricket, badminton ou até mesmo arremesso de tronco, certo? Estes esportes podem parecer muito diferentes para nós, que, até certo ponto, estamos acostumados com o bom e velho futebol e outros esportes mais comuns como vôlei, basquete, handebol, atletismo e afins. Mas a verdade é que, ao redor do  mundo, há muita gente criativa inventando cada vez mais esportes diferentes para se divertir e gastar energia. Conheça alguns no post de hoje.

Os 4 esportes mais diferentes dos países de língua inglesa

1 – Quadribol

Para os fãs de Harry Potter o quadribol não vai ser nenhuma novidade: na série de livros escrita pela britânica J.K. Rowling, o esporte do mundo bruxo é praticado voando em vassouras, com três tipos de bolas diferentes, onde cada jogador tem uma função. Na versão do mundo “trouxa” (como são chamados os não bruxos na série de livros) o esporte segue regras bem parecidas com as do mundo mágico, porém, é lógico que ninguém voa. São 7 jogadores em cada time divididos entre 3 posições: 3 artilheiros, 2 batedores, 1 goleiro e 1 apanhador. Usa-se uma bola de vôlei e duas de queimada, que devem ser arremessadas dentro de três anéis em cada canto do campo para marcar pontos. Uma pessoa neutra leva o “pomo de ouro” (a bola de tênis) amarrado e os apanhadores têm o objetivo de capturá-lo para terminar o jogo e ganhar 150 pontos. Ah, vale lembrar que todos os jogadores também montam vassouras.

2 – Hockey subaquático

Surgido na Inglaterra, o hockey subaquático possui regras muito semelhantes ao hockey no gelo: o objetivo também é levar o disco até o gol do oponente. A diferença óbvia é que o esporte se joga debaixo d’água, o que exige muito fôlego, resistência e boa natação dos esportistas. Além disso, o bastão utilizado é muito menor – do tamanho de uma banana – para facilitar os movimentos. Cada time possui seis jogadores, que utilizam apenas toucas e óculos de natação como equipamento para mergulhar em piscinas que devem ter de 2m a 3,65m de profundidade. Haja fôlego!

3 – Corrida de avestruzes

Considerada uma parte da cultura sul-africana, a corrida de avestruzes é um esporte muito simples: basta montar o avestruz com o equipamento adequado e ver quem alcança a linha de chegada primeiro. O problema é que os animais são muito difíceis de controlar, já que não são domesticados como cavalos. Além disso, podem chegar até 70 km/h, o que faz com que a experiência seja especialmente perigosa. A adrenalina e o perigo potencial de montar avestruzes é o que tem atraído cada vez mais praticantes para este esporte muito louco. Além da África do Sul, hoje há também competições em fazendas de avestruzes em alguns estados dos Estados Unidos.

4 – Corrida do queijo

Mais do que apenas um esporte, a corrida do queijo é um evento anual que acontece no norte da Inglaterra e tem ficado conhecido pelo mundo. Todos os anos os jogadores participam do evento com o objetivo de levar para casa o grande prêmio: o queijo. O esporte funciona assim: os jogadores se posicionam no topo de uma colina de onde um queijo redondo é jogado. Os competidores descem correndo montanha abaixo com o objetivo de capturar o queijo. Não é incomum que ninguém saia vitorioso do jogo, já que o queijo pode rolar a até 110km/h. Os jogadores, quando não se machucam, saem pelo menos muito sujos da competição. E até mesmo quem está na plateia corre o risco de se ferir, como aconteceu em 1997 quando o queijo atingiu e feriu um espectador.

Quer ler mais sobre cultura de países de língua inglesa? Então acesse nosso blog e saiba mais!



Late!

Tradições e costumes dos britânicos

Todo país possui suas tradições e costumes, sendo comum encontrarmos uma grande diversificação de culturas quando se viaja para o exterior.

Na Inglaterra, por exemplo, é possível encontrarmos uma série de tradições que vão desde a culinária até eventos populares. E para que você possa conhecer um pouco mais dessa cultura, reunimos a seguir os principais costumes e tradições dos britânicos. Confira!

Chá das cinco

Esse costume britânico teve início no sécio XIX, quando a então Duquesa, Anna de Bedford, pediu para que sempre às 17 horas fosse servido um chá com bolos, doces e sanduíches.

Desde então, esse é um costume adotado por toda a população, inclusive pelas casas de chá e cafeterias inglesas.

Fish and chips

Um dos pratos famosos da culinária do Reino Unido é o Fish and Chips, que nada mais é do que tiras de peixe frito enrolado em um papel acompanhado de batatas fritas. Antigamente ele era embrulhado em jornais, o que ocorre até hoje em algumas regiões do país.

Em quase toda esquina da capital inglesa é possível encontrar restaurantes que vendem esse tradicional prato britânico.

Pontualidade

Os britânicos são mundialmente conhecidos por sua pontualidade, e eles são muito exigentes quanto a isso. Neste caso, se você vai para um evento marcado as 19:00 então é bom comparecer exatamente neste horário.

Para se ter uma ideia, em Londres, são quase 400 relógios públicos espalhados pela cidade, todos marcando a mesma hora. Assim, não têm desculpas por qualquer atraso.

Pubs

Mundialmente conhecidos, os pubs são os locais onde os britânicos se reúnem com os amigos para beber, muitas vezes ao som de música ao vivo, sendo símbolos da vida social na Inglaterra. Os pubs costumavam fechar exatamente as 23:00, no entanto, desde 2001, é possível conseguir uma licença para permanecer aberto até meia-noite.

Outra peculiaridade dos pubs é que, assim que você pede uma bebida no balcão, já deve pagá-la.

O feriado britânico

Todos os feriados britânicos são chamados de Bank Holidays e, obrigatoriamente, devem cair na segunda ou sexta-feira. Apenas o Natal, a Páscoa e o Boxing Day são exceções e mantêm também os seus nomes originais.

Cerimônia da troca da guarda britânica

A troca da guarda britânica é um costume na Inglaterra e é considerado  também uma atração turística, com músicas que vão além das marchas militares. O desfile de troca da guarda tem duração de 45 minutos e ocorre no Buckingham Palace todos os dias de maio a julho e em dias alternados no resto do ano, sempre às 11:30 da manhã.

Curiosidades

  • Os policiais britânicos não carregam armas de fogo e são muito conhecidos por diversos outros nomes (gírias), como por exemplo, Fuzz, Po-lis, Old Bill, Plod, Rozzers, Bizzies e Bobbies;
  • O Castelo de Windsor é a maior casa real do mundo e também a residência real mais antiga;
  • O primeiro restaurante de Fish and Chips foi aberto em 1860 em Londres pelo imigrante judeu Joseph Malin;
  • O champanhe foi inventado na Inglaterra em 1662;
  • O metrô de Londres é um dos mais antigos do mundo;
  • A Grã-Bretanha é a única nação no mundo que não tem seu nome em seus selos postais;
  • Na Inglaterra, é comum tomar chá com leite;
  • Os britânicos conduzem seus veículos pela faixa da esquerda;
  • A Inglaterra é considerada o berço do futebol. Além disso, eles criaram diversos outros esportes como o cricket, badminton, tênis, hockey de campo e rugby;
  • Na Inglaterra, os sobrenomes mais comuns são: Smith, Jones, Taylor e Brown;
  • Na Inglaterra, os cemitérios são considerados opções de passeio, como parques.

E então, o que achou da cultura britânica? Deixe seu comentário aqui embaixo. 😉



ingles-para-criancas

Crianças: jogos para aprender inglês com diversão

A brincadeira faz parte da infância e, nessa fase da vida, é possível desenvolver diversas habilidades nas crianças, sendo uma delas o aprendizado de um novo idioma. Com a utilização de jogos físicos e até mesmo online, as crianças passam a dar mais atenção e a se envolver mais nas atividades de aprendizado.

Dessa forma, elas conseguem aprender a língua inglesa, por exemplo, sem ao menos perceber que está estudando, isso porque o aprendizado se torna divertido e mais atrativo para elas.

Pensando neste assunto, separamos algumas dicas de jogos para incentivar as crianças a aprender inglês com diversão. Acompanhe!

Jogo da forca em inglês

O jogo da força – hangman – é um clássico, e para jogá-lo não é necessário nada além de papel, caneta e duas pessoas. O educador deve escolher palavras em inglês e a criança deverá adivinhá-las, letra por letra, sempre faladas no idioma. A cada letra sugerida que não faz parte da formação da palavra, uma parte do corpo humano é desenhada: o objetivo é não deixar o bonequinho ser enforcado, acertando a palavra antes que isso ocorra.

A forca irá desenvolver o vocabulário da criança e também trabalhará a pronuncia das letras e palavras.

Palavras-Cruzadas

Palavras-Cruzadas, ou scrabble, é um outro jogo muito simples e útil para utilizar como forma de aprender inglês. Neste caso, a ideia é formar palavras usando letras de outros termos ou ainda adivinhar palavras com base no seu significado. As crianças vão aprender mais vocabulário, além de treinar a ortografia e interpretação.

Jogo da memória

Os jogos de memória, memory games, são diversão garantida para a garotada. Os pares podem ser formados de diferentes maneiras, de acordo com a idade e nível de conhecimento da criança. Uma boa ideia é apresentar um cartão com o desenho de um objeto, animal ou roupa e, no cartão correspondente, o seu nome, assim a criança deve memorizar as palavras e relacionar com os desenhos.

Bingo

O bingo é muito divertido e simples de ser utilizado, com ele, as crianças podem aperfeiçoar a compreensão de letras e números. Além disso, também é interessante para trabalhar o desenvolvimento lógico e matemático das crianças.

Neste caso, em vez de cantar os números e letras, deixe que ela faça a conta, por exemplo, 1+1, assim ela terá que realizar pequenas operações para saber qual é o número que deverá marcar no bingo.

Adedonha ou Stop!

O stop é um jogo muito conhecido entre as crianças dos anos 90, e ele pode ser utilizado também para o aprendizado das crianças atualmente. O jogo consiste em uma tabela dividida por colunas que deverão ser preenchidas com categorias, como cor (color), animais (animals), cidades (cities), entre outras.

O jogo se inicia com a escolha de uma letra, então, as crianças devem ir preenchendo cada coluna com palavras que comecem com a letra escolhida, quem terminar primeiro grita Stop!

O jogo é bem divertido e dinâmico e permite treinar o vocabulário e ensinar novas palavras para as crianças.

Quebra-cabeça

Toda criança gosta de brincar com quebra-cabeças, sendo assim, essa é uma ótima opção para que elas possam aprender brincando. Neste caso, é possível fazer as peças com palavras que ao serem montadas corretamente, formam uma frase em inglês.

Este jogo é ideal para quem já está praticando a leitura e começando a formar pequenas frases.

Sopa de letrinhas em inglês

No jogo sopa de letrinhas, as crianças devem formar determinadas palavras utilizando as diversas letras que estão sobre a mesa. Este jogo é ideal para quem já está começando a ler em inglês e ajuda a trabalhar a memória, uma vez que elas têm que buscar entre diversas letrinhas as que fazem parte da palavra.

Aplicativos e jogos online

Atualmente, além de contar com os jogos físicos também é possível aprender inglês brincando com jogos no computador e até mesmo em aplicativos de celular. Veja abaixo alguns destes jogos:

British Council

O British Council é um site no qual são disponibilizados jogos educativos para diversas idades e níveis de inglês. Nele, a diversão e o aprendizado estão garantidos, com diversos passatempos e jogos divididos em diferentes categorias.

Pili Pop

O Pili Pop é um aplicativo desenvolvido por especialistas, que auxilia crianças com idades entre 5 e 10 anos a praticar inglês de maneira divertida e envolvente. O aplicativo conta com mais de 20 jogos diferentes e está disponível para celulares com sistema iOS.

Grammar Wonderland

No Grammar Wonderland, as crianças ajudam um personagem a atravessar obstáculos por meio de respostas corretas em inglês. O aplicativo permite praticar o uso de substantivos, verbos, adjetivos, entre outros e está disponível para celulares Android e iOS. 

Sem dúvidas, aprender por meio de jogos torna-se muito mais divertido. Que tal começar hoje mesmo a incentivar os jogos para a prática do inglês? Conhece algum outro jogo? Deixe seu comentário! 



nova-zelandia

Kiwinglish: quais as diferenças do inglês da Nova Zelândia?

Quando aprendemos a falar inglês na escola ou em um curso de idiomas, aprendemos o que chamamos de “inglês padrão”, que costuma ser a língua falada nas regiões mais economicamente importantes dos Estados Unidos ou da Inglaterra. Porém, a língua inglesa, como qualquer idioma, varia muito de um local para o outro, e o inglês falado na África, na Austrália ou no Canadá se diferencia em muitos pontos do dito inglês padrão.

É o caso, também, do inglês falado na Nova Zelândia, conhecido como kiwinglish. Por causa da história e da cultura do país, o idioma se modificou após a colonização da Inglaterra e se transformou em um inglês que até mesmo falantes nativos da língua inglesa têm dificuldade de entender!

Conheça um pouco mais sobre o kiwinglish e se prepare para saber mais sobre a Nova Zelândia!

A importância do Maori

Os nativos polinésios da Nova Zelândia, que povoavam o continente por 1000 anos antes da chegada dos europeus, falavam o idioma maori, que até hoje é uma grande influência na língua local. Grande parte dos nomes de cidades, ruas e locais é maori e podem apresentar muita dificuldade de pronúncia para quem não conhece a língua, como Ngaruawahia, uma cidade neozelandesa.

Mas não é só nessas situações que o idioma polinésio aparece no inglês da Nova Zelândia: na linguagem coloquial, do dia a dia, as pessoas usam muitas palavras maori – como kiwi, o nome de uma ave, que também é usado para se referir aos habitantes do país e também à fruta que conhecemos, chamada de kiwifruit por lá – para evitar confusões.

E daqui a algum tempo não será apenas na língua coloquial: muitos documentos oficiais usam o maori sem tradução para o inglês, e, com o espírito de preservar a cultura, a tendência é que isso aconteça cada vez mais!

Palavras diferentes

Mas não é só nesse ponto que o kiwinglish se diferencia do inglês que conhecemos. Muitas palavras, usadas em inglês mesmo, são utilizadas de outro jeito, com outros significados. Por exemplo, batatas fritas são french fries nos Estados Unidos, mas hot chips na Nova Zelândia. Do mesmo modo, o que os americanos chamam apenas de hot dog, os kiwis chamam de American hot dog, já que o corn dog norte-americano é o que chamam de hot dog na Nova Zelândia.

E claro, não são só palavras, mas frases inteiras que se diferenciam. Quando você agradece um favor de um kiwi, em vez de ouvir You’re welcome, provavelmente vai ouvir All good.

Muitas dessas palavras que se diferenciam do inglês dos Estados Unidos são influências da colonização da Inglaterra. Por exemplo, o apartamento, que para os americanos é apartment, se chama flat para os kiwis, assim como para os ingleses – portanto, a pessoa que divide um apartamento não é um roommate, mas um flatmate.

Outra grafia

Outra diferença é que algumas palavras, ainda que parecidas pelo som, são escritas de maneira diferente. É o caso de check, que os kiwis soletram como cheque, ou dialog, que eles escrevem dialogue. Muitas dessas grafias diferentes são, também, influências da colonização britânica, como colour, flavour etc.

Essas são apenas algumas diferenças do idioma da Nova Zelândia comparado com o inglês com que estamos acostumados. É sempre interessante conhecer essas diferenças e ver como a história e a cultura de um país influenciam na linguagem, não é mesmo?

Você já foi alguma vez a Nova Zelândia? Pensa em ir? Conta para a gente a sua experiência aqui nos comentários. 🙂